design de topo
imagem design
Representação
Serviço Social
Cultura e Lazer
(In)formação Hemoglobinopatias
Integração Laboral
Amigos do Globi
Dias Internacionais
Estudos
Eventos
Galeria de Imagens
Parcerias e Apoios
Projectos de 2012
Projectos de 2013
Projectos de 2014
Projectos de 2015
Projectos de 2012

- Capacit'arte [+]

Este projeto possibilitou a continuidade do grupo de apoio às pessoas com hemoglobinopatias (crianças e jovens e adultos, familiares e/outros cuidadores) “Amigos do Globi”.

O grupo de adultos reuniu-se com regularidade (em média de 3 em 3 semanas) na sede da instituição. Para além destes encontros realizaram-se sessões de grupo em áreas geográficas de maior prevalência destas patologias onde existe um grupo significativo de pessoas com hemoglobinopatias. Ocorreram 4 sessões: no Porto a 8 de janeiro; no Barreiro, a 21 de março; em Beja, a 28 de setembro e em Faro, a 5 de Outubro.

Ao grupo de adolescentes, que reuniu-se com bastante regularidade, transmitiu-se, nas primeiras sessões, os objetivos deste projeto e oscultou-se os interesses de cada um definindo-se as oficinas a realizar durante o ano.
Realizaram-se (para além das sessões iniciais e de ensaios para o espetáculo de novembro) oito oficinas (danças, fotografia, pintura, reciclagem, cinema, desenho, teatro) que resultaram em exposições e performances apresentadas num espetáculo apresentado às famílias, aos utentes de instituição e à comunidade do Laranjeiro. Nesta festa, realizada a 24 de novembro comemoram-se, também, os 20 anos da APPDH.

O grupo participou, ainda, no concurso/exposição “Arte e Criatividade”, promovido pela Câmara Municipal de Almada (Direção Municipal de Desenvolvimento Social – Divisão Sociocultural) com um trabalho de pintura intitulado “Os meus sonhos“ que esteve patente na Oficina da Cultura da Câmara Municipal de Almada.

Para além dos grupos de apoio, orientados por uma psicóloga, o atendimento psicossocial individual e familiar foi disponibilizado na sede da instituição e diversas atividades de aproximação à comunidade onde estão inseridas e de articulação institucional foram concretizadas. O seu fim resume-se ao contributo para a resolução de problemas, para a integração e qualidade de vida das pessoas com hemoglobinopatias. Assim, realizaram-se diversas ações, nomeadamente:
. exposição dos problemas que surgiram na sequência da alteração de legislação referente às taxas moderadoras, da dificuldade de inserção do despacho 11387-A/2003, de 23 de maio no receituário (regime especial de medicamentos comparticipados que isenta o pagamento desses medicamentos) e da vivência destas pessoas em reuniões diversas com entidades oficiais (ministérios, assembleia da república, consulados, hospitais e centros de saúde) de norte a sul do país;
. sensibilização para as hemoglobinopatias e para a vivência das pessoas afetadas (doentes e famílias) em iniciativas públicas pela participação em eventos (feiras de saúde, conferências sobre doenças raras e sobre as patologias, sinalização dos dias internacionais da talassémia e da drepanocitose), na comunicação social (Reportagem nos programas Bom Dia Portugal (RTP1) e Boa Tarde (TVI) e Reportagem Herança de Sangue, no Programa “Perdidos e achados”, na SIC) e em equipamentos educativos.

Reportagem nos programas Bom Dia Portugal (RTP1):
http://www.youtube.com/watch?v=PMWEJWuQCik

Boa Tarde (TVI):
http://www.youtube.com/watch?v=lUHtklSX0eE

Em reportagem Herança de Sangue, no Programa “Perdidos e achados”, na SIC:
http://www.youtube.com/watch?v=UxAXUxWoNKg


Programa de Financiamento do Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P
Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P.

Fundação Millennium BCP
Fundação Millennium BCP

- Loja da Cidadania [+]

A preparação do projeto foi concretizada em estreita ligação com os intervenientes recorrendo à técnica «focus group» para apresentação da ideia subjacente ao projeto e recolha do feedbak das pessoas diretamente envolvidas, das suas sugestões, dos contributos em todo o processo desde as questões mais burocráticas, à escolha do espaço, imagem e publicidade da loja, compra de materiais e mobiliários, entre outros aspetos.

O envolvimento de todos enriqueceu a ideia inicial dando forma a um projeto no qual depositaram a esperança de uma oportunidade para aprendizagem de novas competências (nomeadamente técnicas de artesanato e costura, atendimento ao público, cuidado com a imagem e publicidade de um espaço aberto ao público); para simplesmente saírem de casa, retomarem hábitos e rotinas de trabalho; para conviverem com outras pessoas partilhando experiências e saberes. A necessidade de integrar um espaço de trabalho e de partilha de tarefas em equipa foi bastante evidenciada pelos participantes, uma vez que estávamos perante um grupo afastado há algum tempo do mercado de trabalho (alguns sem experiência laboral em Portugal) em que uns referiram, nas primeiras reuniões, que se isolavam bastante, sentiam-se pouco úteis e incapazes de contribuírem para as despesas do seu agregado familiar.

Desta forma nasceu a “Loja da Cidadania”, inaugurada a 26 de julho na freguesia de Almada.

O projeto integrou cerca de 12 pessoas (algumas que participaram na fase inicial por questões de saúde tiveram de afastar-se), duas delas com Contratos de Emprego-Inserção+ (através do Instituto de Emprego e Formação Profissional - IEFP). Num sistema de rotatividade participavam na dinâmica da Loja (exceto as duas pessoas integradas pelos CEI+ que cumpriam um horário de trabalho diário) e para as quais foram canalizados os donativos angariados com o seu funcionamento permitindo auxiliar no suprimento de algumas necessidades das famílias, nomeadamente na integração em equipamento educativo dos seus filhos e no apoio em cabazes alimentares.

As pessoas envolvidas estabeleceram uma boa relação de entreajuda na resposta a determinadas situações que vão surgindo no seu quotidiano (nomeadamente procura de casa, de emprego, de apoio em medicamentos, tomar conta do filho, aconselhamento); têm-se estabelecido boas relações de amizade; têm-se partilhado conhecimentos e aprendizagens; os participantes sentem-se uteis assumindo a loja como um emprego; têm-se estimulado hábitos de trabalho (assiduidade, responsabilidade de cada elemento na equipa - diferenciado o papel de cada um no que respeita àqueles que estão inseridos através dos CEI+ que se encontram a tempo inteiro na loja com as responsabilidades de atendimento ao público, receção e reposição e de dinamização do atelier de costura e artesanato); os participantes sentem-se menos isoladas; transparecem uma maior autoestima pela valorização das suas ideias, das suas sugestões, da sua criatividade e da sua autonomia na resolução de situações pontuais.

A loja permitiu apoiar algumas famílias ao nível do levantamento de bens necessários (roupa e calçado) e estimular a reciprocidade neste processo entregando-nos os bens sem utilidade para si (principalmente, roupas e calçado que já não servem). E envolver a comunidade doando os bens que foram expostos na loja.

Para além dos resultados positivos do projeto aqueles que ficaram aquém dizem respeito à localização da loja que, em termos geográficos, apesar de relativamente central situava-se no interior de um pequeno e pouco movimentado centro comercial de Almada não facilitando o acesso aos visitantes.
Por outro lado, esta zona deixou de ser fornecida pela rede de transportes deixando-a menos movimentada; e à fraca aquisição de bens da loja (não somente pelos fatores associados à localização) pelo preconceito em adquirir e utilizar bens em segunda mão. Pois se a adesão da comunidade à doação foi boa, à aquisição foi muito fraca traduzindo-se numa bastante baixa angariação de fundos.


Programa de Financiamento do Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P
Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P.

- Bolsa de Talentos [+]

São resultados deste projeto a elaboração de conteúdos relativos ao emprego e formação colocados online em www.bolsadetalentos.appdh.org.pt.
O funcionamento do gabinete de apoio e orientação na procura de emprego na sede da instituição permitiu o atendimento presencial, pelo telefone e online contribuindo para a definição e desenvolvimento do percurso de inserção ou reinserção no mercado de trabalho prevendo-se, também, as possibilidades de investimento em formação escolar e/ou profissional.
Realizaram-se 6 ações de informação sobre “Técnicas de procura de emprego” em zonas do país onde existem pessoas com hemoglobinopatias (realizaram ações em Beja, Faro e Almada) permitindo a participação de 18 pessoas. Exploraram-se diversos conteúdos (sempre com uma vertente prática) que visaram um apoio e orientação na procura de emprego capacitando-as para uma procura ativa de emprego e para o desenvolvimento de competências ao nível da postura e da comunicação em todo o processo.
Este espaço favoreceu, ainda, a partilha de experiências, de percursos profissionais e de resolução de questões laborais com base na informação disponibilizada e esclarecido sobre direitos e deveres numa relação laboral.

Deste projeto resultou, também, uma base de dados de currículos dos utentes e das suas características técnico-profissionais que orientarão a escolha das entidades a sensibilizar para a sua integração.

Com o intuito de sensibilizar as empresas elaborou-se, ainda, um documento modelo explicativo do projeto divulgando os objetivos (gerais e específicos); a caracterização da população alvo; a entidade responsável pela sua execução; os contatos e os financiadores; e, um flyer de incentivo à contratação das pessoas com hemoglobinopatias que será utilizado nos contactos presenciais com as empresas.

Visite o site do projecto Bolsa de Talentos - www.bolsadetalentos.appdh.org.pt.


Programa de Financiamento do Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P
Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P.
CONTACTOS
APPDH - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS // WEBDESIGN :: PATRÍCIA MAYA